Síguenos en:

  • Google+

Materias


Regular o trabalho, evitar a opressão: o Direito português entre a metrópole e as províncias ultramarinas na segunda metade do século XIX

Revista Jurídica de la Universidad Autónoma de Madrid

  • Autores: Seixas, Margarida
  • ISSN: 1575-720-X
  • Páginas: 251-268
  • Edición: 1ª ed.
  • Año: 2016
  • Fecha de recepción: Oct. 15, 2015
  • Fecha de aceptación: April 12, 2016
Comprar en formato electrónico:

pvp. 6.0 €

Descripción

O texto apresenta a regulação inovadora do trabalho no Direito português, na segunda metade do seculo XIX, no contexto operário europeu e no contexto agrícola colonial. Visa dar a conhecer –em Portugal e nos territórios ultramarinos– a substituição da escravatura pelo trabalho forçado e os novos caminhos do trabalho livre, «fugindo» dos esquemas puramente civilistas e preparando a construção de um novo ramo, o Direito do Trabalho. A compreensão histórica destes fenómenos levanta questões pertinentes, que podem auxiliar na dilucidação de conceitos jurídicos como os de «subordinação jurídica», «obediência», «poder de direcção» ou «poder disciplinar». O novo Direito que começava a nascer convocava «novos» princípios e conceitos que merecem refl exão crítica, capaz de questionar a sua confi guração contratual e a proximidade com formas de sujeição do Direito antigo. Contudo, a nova regulação, integrando e legitimando essa subordinação, pretendia também limitá-la e garantir a liberdade daquele que contratava obedecer.

 


Índice

 I. TRABALHO METROPOLITANO E TRABALHO COLONIAL NO DIREITO PORTUGUÊS: NECESSIDADE DE COTEJO; II. A LOCATIO-CONDUCTIO E A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: O MODELO PORTUGUÊS; 1. Locatio-conductio e o paradigma contratual oitocentista; 2. Prestação de serviços no Código Civil Português (1867); III. A REGULAÇÃO DO TRABALHO COLONIAL NAS PROVÍNCIAS ULTRAMARINAS; IV. INDUSTRIALIZAÇÃO E LEGISLAÇÃO LABORAL PORTUGUESA; V. CONCLUSÃO; VI. BIBLIOGRAFIA.

 


Abstract

This paper describes the innovative way in which labour was regulated in Portuguese law in the second half of the 19th century in the context of the European labour movement and colonial agriculture. It focuses on the replacement of slavery by forced labour in Portugal and the overseas territories, and the steps that were taken towards a conception of free labour, outside purely civilist schemas, and the preparations for the construction of a new branch, Labour law. The historical understanding of these phenomena raises some pertinent questions, which can help clarify certain legal concepts such as ‘legal subordination’, ‘obedience’, ‘management power’ and ‘disciplinary power’. The new law that was emerging invoked ‘new’ principles and concepts that require critical reflection, given their contractual configuration and proximity to forms of subjection from the previous law. However, the new regulation, which included and legitimized this subordination, also aimed to limit it and ensure the freedom of those that were contracted to obey.

 


Palabras clave

Direito do Trabalho; Portugal; Colónias portuguesas; Século XIX

Keywords

Labour law; Portugal; Portuguese colonies;19th century.

Boletín de Novedades

Suscríbase a nuestro boletín de novedades.


Descarga de catálogos


Publicidad:

Recomendados

  • Este libro proporciona un análisis actual de los desafíos jurídicos y éticos en la preparación y respuesta a las crisis de Salud Pública. Desde acontecimientos pasados como la crisis del Ébola en África o la ...

    antes:
    29,00 €
    ahora: 27,55 €

  • Las mafias italianas. Reimpresión 2020
    Estudio criminológico y de los principales procesos judiciales: del maxiproceso de Palermo a la Mafia capitale romana

    por Pardo González, Yolanda

    2019 Dykinson

    Esta obra es el resultado de la pasión de la autora por la investigación penal y por el fenómeno de la lucha antimafia y, para luchar, hay que conocer, con carácter previo, como es el ...

    antes:
    20,00 €
    ahora: 19,00 €

  • El Tribunal de Justicia de la Unión Europea (TJUE), en su Sentencia dictada el 3 de marzo de 2020 (C-125/18), abre la puerta a que miles de consumidores afectados puedan reclamar la abusividad de la ...

    antes:
    46,80 €
    ahora: 44,46 €

más recomendados